Vivências e convivências

Vivências e convivências

sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Os tipos comportamentais que podem compor a equipe de trabalho

 

Desde a Antiguidade, pensadores e filósofos vêm tentando classificar e entender as diferenças individuais. Há milhares de anos, os chineses relacionaram as diversas personalidades a doze animais e que cada ano pertencia a um bicho e que a personalidade era determinada por esse animal. Nascia o horóscopo chinês.

Na Grécia Antiga, Hipócrates constatou a existência de quatro humores relacionados à predominância de secreções orgânicas no corpo humano: fleuma, sangue, bilís amarela ou bílis negra. Essa teoria foi mais tarde aperfeiçoada pelo médico romano Galeno, que definiu os tipos como fleumático, sanguíneo, colérico e melancólico, respectivamente. Os fleumáticos são cordiais, gentis e querem agradar aos outros. Os sanguíneos têm o dom da persuasão e da motivação. Entre os coléricos, estão os mais competitivos e determinados. E os melancólicos prezam a organização e a obediência. (BOOG; BOOG, 2004).

A classificação em quatro perfis vem sendo adotada há mais de dois mil anos e serve de referência para modelos atuais como os defendidos por Boog e Boog (2004) e pelos especialistas internacionais em comportamento.

Por trás dessas abordagens está a percepção de que os indivíduos têm motivações diferentes. E de que há uma espécie de energia individual que move o ser humano. O psiquiatra suíço Carl G. Jung se dedicou ao estudo dessas diferenças comportamentais e percebeu a existência de quatro tipos psicológicos básicos: intuição, sensação, pensamento e sentimento. As categorias propostas por Jung, nos anos 20, formam a base para boa parte das tipificações que vieram depois dele, inclusive a que percebe as pessoas respectivamente como: reis, guerreiros, magos e amantes.

O guerreiro, de acordo com Jung (Apud BOOG; BOOG, 2004), são voltados ao curto prazo, são diretos e mais “secos” nos relacionamentos e se baseiam muito na razão e lógica. Tem excitabilidade e energias altas. Isso significa que os guerreiros são ótimos para realizar metas. São os “tocadores” e “fazedores”, dentro desta característica os guerreiros têm a tendência ao estresse, sendo workaholics.

Os guerreiros têm o foco no presente, no “aqui e agora”, sendo tão voltados às suas tarefas, que tendem a ter dificuldades maiores nos relacionamentos, percebendo que muita ênfase nos relacionamentos é perda de tempo. São vistos, por isso, como excessivamente diretos, secos e até grossos. São mobilizados pelos órgãos dos sentidos: gostam das coisas materiais que possam tocar, pesar, avaliar, cheirar, medir. Tudo o que não se encaixa nesses critérios sensoriais de perceber o mundo é visto por eles com desconfiança.

O tipo rei é mais voltado ao longo prazo, tem excitabilidade alta e energia baixa. Isso significa que são ótimos indicadores e empreendedores, mas sua grande dificuldade é terminar o que começam. Os reis têm uma visão do tempo mais a longo prazo, situando-se mais no futuro do que no presente. Adoram ser o foco das atenções e gostam de pessoas ao seu lado, principalmente se elas estiverem aplaudindo.

Para Jung (Apud BOOG; BOOG, 2004), o rei usa muito seu lado intuitivo, percebendo claramente o sistema como um todo, por isso o rei está sempre em busca de novidades, bastante irrequieto com o estado atual das coisas, quer sempre trazer modificações.


Os indivíduos do tipo mago são perfeccionistas, meticulosos, organizados, persistentes, críticos, disciplinados, sérios. Eles têm a energia Yin, se ajustam ao mundo, são mais voltados ao curto prazo, são diretos e secos nos relacionamentos. O mago é o oposto do rei: tem muita energia e baixa excitabilidade. Os magos são ótimos para estruturar e organizar as coisas. São metódicos e tendem ao perfeccionismo. Levam suas tarefas até o fim.

Sua visão é de curto prazo. São voltados a colocar ordem nas coisas. São amáveis, mas formais, e relativamente secos nos relacionamentos. Tendem a se isolar, curtindo mais seus momentos de análise que muitos contatos sociais ou festas. Adoram estar certos e têm muito prazer em resolver problemas difíceis e complexos. O mago, quando já se trabalhou em um processo de conscientização e crescimento pessoal, torna-se um possuidor de sabedoria e poder de discernimento, bom senso e clareza de pensamento.

Os indivíduos do tipo amante são cordiais, ponderados, respeitadores, amáveis, harmonizadores, compreensivos e bons ouvintes. Ajustam-se ao mundo, voltados ao longo prazo, são ótimos nos relacionamentos e perfeitos para construir e manter equipes. Pouco metódicos, mas dão um enorme foco às relações.

O desafio de compreender a diversidade humana e aprender a conviver com ela está na ordem do dia das organizações. Os gestores começaram a se dar conta de que trabalhar com equipes mistas pode ser mais eficaz e produtivo do que unir pessoas de comportamento semelhante. (BOOG; BOOG, 2004).

 

Referências:


BOOG, Gustavo; BOOG, Magdalena. Conviver em equipe: Construindo relacionamentos sustentáveis. 2. ed. São Paulo: M. Books do Brasil, 2004.

Fonte: Texto extraído da monografia elaborada por Rosane Fontanella: Pós graduada em Secretariado Gestão de Pessoas e Processos pelo CESUSC/SINSESC, intitulada: Os tipos comportamentais dos executivos. 

O artigo da mesma autora também pode ser encontrado em: http://www.revistagestaoesecretariado.org.br/ojs-2.2.4/index.php/secretariado/article/view/56

 


quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Dia do Professor

 

Desde adolescente queria um caminho diferente para mim. Queria evoluir, melhorar e aprimorar meu nível de entendimento do mundo, do contexto ao meu redor, para poder, um dia, ser uma pessoa e profissional respeitada e participativa; e ajudar as pessoas a serem assim também.

Naquela época de adolescente (e ainda hoje), entendi que o único caminho seria estudar. Esse empurrão meus pais me deram. E depois, na escola, tive a felicidade de ter professoras(es) inesquecíveis e imprescindíveis para levar esse propósito adiante. Até hoje.

#FelizDiaDoProfessor




 

Eventos corporativos: o papel da secretaria e assessoria executiva

 


Desde sua inserção nos escritórios, o papel do profissional de secretariado sempre foi afetado pelas mudanças que se processaram nos modelos de administração.

Hoje, este profissional integra forças-tarefa e assume atribuições de acordo com a necessidade do projeto em questão. A ordem é agregar valor para a organização da qual faz parte. Isso significa o exercício de novas funções, o gerenciamento e supervisão de equipes de apoio, a ampliação de suas responsabilidades principalmente na atuação como elemento de assessoria executiva.

Assim, quem assessora:

a)   atua como interface entre dirigentes, equipe de trabalho, clientes internos e externos;

b)   fornece subsídios para a tomada de decisões;

c)   gerencia e executa processos e procedimentos administrativos e de secretaria;

d)   é gestor de serviços, de informações e do conhecimento corporativo;

e)   maximiza a utilização de recursos e propõe novas ferramentas para a eficácia no âmbito profissional. 

Diante da gama de funções, uma de suas atribuições – dependendo da estrutura organizacional na qual se encontra inserido – é supervisionar o planejamento e a organização de eventos corporativos.

Quais conhecimentos e habilidades são primordiais para conduzir essa atividade dentro do melhor desempenho possível?

Ø  Conhecimento profundo da organização e de seu negócio, do cliente e do mercado, para ter uma visão sistêmica da organização e das peculiaridades das relações hierárquicas.

Ø  Conhecimento da cultura organizacional, das normas de conduta e dos procedimentos, que dará dinamismo para criar situações e oportunidades para argumentar, opinar, participar e sugerir mudanças, no caso específico de eventos.

Ø  Conhecimento dos elementos teóricos e práticos que envolvem a gestão de eventos: conceituação, classificação, tipologia, as fases essenciais para um evento bem sucedido, para administrar a logística que um evento requer.

Ø  Domínio das técnicas de comunicação, para expressar ideias com clareza e objetividade, fazer-se entender e apresentar-se diante de pessoas; além de ter de utilizar diferentes tipos de linguagem para lidar com a diversidade de situações.

Ø  Técnicas de gestão de conflitos e relacionamento interpessoal, que permitem ter a capacidade de trabalhar em equipe, negociar, administrar conflitos, acolher opiniões, argumentar.

Ø  Utilização de tecnologias de informação e comunicação e ferramentas de automação disponíveis.

Ø  Capacidade de elaborar e controlar sistemas financeiros e orçamentários. 

Claro que saber e saber fazer são primordiais. Contudo, querer fazer e efetivamente fazer é a característica que marcará o diferencial de um profissional. Estamos tratando de atitude e valores humanos. 

Ø  Determinação, disciplina, disposição em aprender;

Ø  iniciativa, interesse, versatilidade, flexibilidade;

Ø  comprometimento, engajamento, cooperação;

Ø  bom humor, cordialidade, empatia, paciência, tolerância;

Ø  raciocínio lógico, concentração, discernimento;

Ø  percepção, sensibilidade, discrição, autoconhecimento.

             São atitudes que credenciam o profissional a se tornar um líder que, ao lado das lideranças corporativas, possa atuar por intermédio de suas ideias e ações para contribuir na transformação do mundo dos negócios em um sistema mais humano e plenamente sustentável.

Certamente, essa postura de pertencimento contribuirá para a construção de um caminho mais seguro para se ter empregabilidade e felicidade no que se faz.

 

Eventos corporativos: cronograma

 

MODELO DE CRONOGRAMA PARA EVENTOS DE PEQUENO E MÉDIO PORTE

 

Evento:

Local:

Data:                                                                        Horário:

Responsável:


Discriminação

Área/setor

Responsável

Situação

Reserva do local

 

 

 

Reunião para constituição da comissão organizadora

 

 

 

Distribuição das atividades para as comissões

 

 

 

 

Definir tema e programação

 

 

 

Contratar prestadores de serviços

 

 

 

Criação do material de divulgação

 

 

 

Buscar patrocínio e apoio

 

 

 

Definição do material de divulgação

 

 

 

Contratação de gráfica

 

 

 

Listagem de convidados e palestrantes

 

 

 

Enviar carta convite para autoridades, palestrantes...

 

 

 

Reserva equipamentos....

 

 

 

Divulgação na mídia

 

 

 

Contratar e treinar recepcionistas

 

 

 

Montar as pastas

 

 

 

Definir mestre de cerimônia

 

 

 

Elaborar cartas de agradecimento

 

 

 

Reunião e relatório de avaliação do evento

 

 

 

quarta-feira, 14 de outubro de 2020

Eventos corporativos: per e pós-evento

 

Per ou Transevento

            Etapa da realização propriamente dita do evento. O grande dia!! Onde tudo o que foi planejando e previsto durante a fase do pré-evento agora se concretiza para o sucesso do evento. Envolve:

SECRETARIA DO EVENTO – responsável pelo apoio administrativo, instalada no local do evento, conta geralmente com um coordenador que orienta as recepcionistas.

a)   Recepciona e atende os participantes, convidados e autoridades;

b)   Atende ao plenário ou salas de apoio;

c)   Prepara os materiais necessários;

d)   Efetua novas inscrições;

e)   Fornece materiais aos participantes;

f)     Presta informações gerais a quem solicitar;

g)   Entrega certificados;

h)   Elabora controles determinados pela organização;

i)     Aplica a avaliação aos participantes.

 

Pós-evento

           Consiste na avaliação técnica, administrativa e dos participantes. Geralmente são elaborados questionários cujos resultados são analisados e passam a integrar o relatório final do evento.

 

Eventos corporativos

 

Planejamento e organização


            Para tratar do planejamento e organização de eventos, vamos nos amparar nos aspectos teóricos e práticos defendidos por Vanessa Matias (2007).

            As fases do processo de planejamento e organização de eventos são:

·                    Concepção – incorporação da ideia;

·                    Pré-evento – planejamento e organização;

·                    Per ou Transevento – realização;

·                    Pós-evento – avaliação e encerramento.

Concepção

            Começamos a formatar um evento com o levantamento de possíveis dados que vão determinar: objetivos, informações sobre o perfil dos participantes, duração, local adequado, recursos materiais e humanos necessários e disponíveis, elaboração do projeto e do cronograma de atividades e de trabalho.

            Na hora de conceber um evento, reúna-se com as pessoas de sua equipe ou comunidade para fazer sua tempestade de ideias. Vocês podem se basear nas seguintes perguntas:

  1. Por que precisamos ou queremos promover um evento?
  2. Qual é a natureza exata do evento?
  3. Quando irá acontecer?
  4. Onde irá acontecer?
  5. Como pode ser desenvolvido?
  6. Quais são os custos envolvidos?
  7. Quem irá organizá-lo?
  8. Quem irá comparecer? Assistir? Participar?
  9. Quem irá pagar?
  10. Como será divulgado?
  11. Será de interesse da mídia?
  12. É atraente para um patrocinador?
  13. Há outros eventos semelhantes?
  14. Qual será o próximo passo?

Pré-evento

            Etapa do planejamento. Etapa das mais importantes porque envolve todas as etapas de preparação e desenvolvimento do evento.

            Nesta etapa, segundo Marlene Matias (2007) são definidos e realizados: serviços iniciais, serviços de secretaria, elaboração e detalhamento do projeto.

SERVIÇOS INICIAIS

a)   Identificação dos patrocinadores, apoiadores...

b)   Levantamento de nomes e confirmação de palestrantes, conferencistas, convidados, autoridades, ...

c)    Definição de responsabilidades de profissionais e prestadores de serviços;

d)   Definição da gestão de receitas e despesas.

SERVIÇOS DE SECRETARIA

a)   Preparação e expedição de correspondências para empresas, entidades, pessoas que possam de alguma forma colaborar com a realização do evento;

b)   Orçamento e confecção de material administrativo (papel carta, envelopes, impressos....;

c)    Controle e arquivo da correspondência recebida e expedida;

d)   Organização da mailing list para envio de circulares, informativos, folders para o público-alvo;

e)   Recebimento e confirmação de inscrições e adesões;

f)    Elaboração e execução do cronograma de trabalho;

g)   Identificação, seleção e contratação de prestadores de serviços.


 

segunda-feira, 5 de outubro de 2020

Eventos corporativos: classificação

 

Em relação ao público

·  Eventos fechados: realizados para situações específicas e com público-alvo definido, que é convocado e ou convidado a participar.

·      Eventos abertos: a) por adesão – aquele apresentado e sujeito a um determinado segmento de público, que tem a opção de aderir mediante inscrição gratuita e ou pagamento de taxa de participação;

b) em geral – é aquele que atinge todas as classes de público.


Em relação à abrangência

·      Os eventos podem ser: mundiais, internacionais, latino-americanos, brasileiros, regionais ou municipais.

 

Em relação à dimensão (número de participantes)

·      Macroevento: mobiliza milhares de pessoas, tanto na organização quanto na adesão. Tem abrangência internacional ou mundial. Exemplo: Copa do Mundo de Futebol, Olimpíadas.

·      De grande porte: embora menor que o macroevento, também mobiliza milhares de pessoas. Exemplo: Festival Folclórico de Parintins, Oktoberfest, Festa do Peão de Boiadeiro.

·      De médio porte: normalmente realizado com adesão de menos de mil participantes.

·      De pequeno porte: abrange apenas um segmento ou setor e tem número reduzido de público.

 

Em relação à data ou frequência

·      Permanentes: ocorre periodicamente (mensal, semestral, anual, bianual...)

·      Esporádicos: que acontecem entre intervalos irregulares.

·      Únicos: características de alguns tipos de eventos como lançamento de livro, noite de autógrafos.

·      De oportunidade: ocorrem em época de grandes eventos internacionais ou de eventos marcantes da história ou tradição local.

 

Em relação ao objetivo ou área de interesse

Artístico

Divulgação

Folclórico

Político

Assistencial

Ecoturismo

Gastronômico

Promocional

Científico

Educativo

Governamental

Religioso

Cívico

Empresarial

Incentivo

Social

Cultural

Expositivo

Informativo

Técnico

Desportivo

Filantrópico

Institucional

Turismo/Lazer