Vivências e convivências

Vivências e convivências

quinta-feira, 10 de março de 2016

Secretária(o) Executiva(o): posicione-se com conhecimento


Com frequência recebo mensagens de profissionais do Secretariado. Uns compartilhando experiências; outros contando situações vividas; alguns chorosos e desanimados...... e por aí vai....

Semana passada recebi em e-mail desabafo de uma secretária executiva, que aqui vou chamar de Anna Beth.

 
Dizia ela: [abre aspas] Oi, professora. Eu estou bem, mas às vezes com vontade de largar tudo. Por isso, estou indo para o interior sempre que posso. Lá procuro caminhar com pé na grama, colher verduras fresquinhas, apanhar goiabas......

Sabe, essa vida de ter de lidar com executivos e todos que os cercam é muito doida, muito corrida... temos que cuidar para não perdermos nossa essência.

O lado bom é que meu atual gestor entende e valoriza meu trabalho e a gente se dá bem, apesar dos estresses do dia a dia.

A outra coisa boa é que toda essa minha revolta tem me ajudado a me posicionar melhor. Professora, sempre lembro de seus ensinamentos na época da universidade. Estou aprendendo a dizer “não” e a conquistar meu espaço. Acho que ando assustando um pouco as pessoas que eram acostumadas com a Anna Beth meiguinha. Mas estou ganhando espaço e respeito, isso sim!!

Outro dia cheguei para meu chefe e disse que minhas responsabilidades não condiziam mais com meu salário e que para atendê-lo de domingo a domingo, como venho fazendo ultimamente, eu merecia uma compensação, ou seja, uma revisão do meu salário.  Ele concordou e está vendo com o RH o que fazer..... ufaaa......[fecha aspas]

 
Pergunto: Quem de nós nunca sentiu essa vontade de chutar o pau da barraca, como se diz na gíria? Desistir, fugir, perder o controle, sentir-se desorientado (que nem uma barata tonta!!) ou como uma bola murcha rolando – ou sendo rolada – de um lado para outro do escritório?

Ainda mais agora nesse momento de crise na economia e política brasileira, em que os gestores estão com os nervos à flor da pele para atingirem minimamente os objetivos traçados para 2016.

Situação complicada que pede cautela para toda a equipe.

 
Respondi o e-mail da Anna Beth, afirmando que fazer mudanças é sempre saudável. E se revoltar - a cada seis meses - também é saudável. Caso contrário os homens gestores acabariam pensando que ainda estávamos na era da vaquinha de presépio.

Claro que por revolta aqui quero dizer posicionar-se, sem leviandade. Posicionar-se munida de conhecimento de causa, com competência. Não falar por falar como mulher-menina mimada, cheia de dodói, de nhenhenhê.

Depois da revolta, ergue-se a cabeça sem perder a autoconfiança. Conquista-se a credibilidade.
Disse para Anna Beth – e agora digo para você, jovem profissional, a meiguice no âmbito profissional é sinônimo de fragilidade.

Parabenizei-a por estar tirando de dentro dela aquela Anna Beth confiante, capaz, inteligente, ambiciosa, determinada, que foi minha aluna na pós em Secretariado e Assessoria Executiva.

E, claro, conquistas precisam ser comemoradas..... e assim que sair o plus no salário dela nada mais justo de tomarmos um café juntas. Que tal?

E você?
Como tem comemorado suas conquistas?
  

Um comentário:

  1. Boa tarde! Achei muito interessante seu blog, sou estudante, estou cursando o 1º semestre de secretariado Executivo na Faculdade Sumaré em São Paulo, e estou fazendo um trabalho em grupo, é uma pesquisa sobre a importância da secretária ser Bilíngue, gostaria muito que a Sra. uma profissional incrível, pudesse tirar 3 minutinhos do seu dia para responder a nossa pesquisa. Desde já agradeço a atenção. Segue o link. Obrigada!
    Pesquisa de Campo Faculdade Sumaré - https://docs.google.com/forms/d/1UCj4iUA2oj8KRRshw0ntuPPjEtGKvtii2nrWguSdQf8/edit?usp=sharing

    ResponderExcluir