Vivências e convivências

Vivências e convivências

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Almas perfumadas

O título deste post é em homenagem aos participantes do curso de Gestão de Rotinas da Secretaria, que ministrei na semana passada em Joaçaba (SC), sob a coordenação da Associação Industrial e Comercial do Oeste Catarinense (ACIOC).

Cabe-me agradecer o privilégio de ter tido no curso profissionais iluminados e interessados que fazem com que nós, professores, tenhamos nosso conhecimento transformado. Que fazem com que tenhamos palavras inspiradas para tratar de ações e convivências diárias, que nem sempre são motivadoras e geradoras de entusiasmo. E que, mesmo assim, persistem porque acreditam que vale a pena fazer sempre.....

E, hoje, uma dessas pessoas iluminadas me enviou por e-mail o seguinte texto, que quero compartilhar com vocês.

"Almas perfumadas

Almas perfumadas são aquelas que chegam ao Trono do Altíssimo como incenso agradável.
Tem gente que tem cheiro de passarinho quando canta. De flor quando ri.
Ao lado delas, a gente se sente no balanço de uma rede que dança gostoso numa tarde grande, sem relógios e sem agenda.
O tempo é outro. E a vida fica com a cara que ela tem de verdade, mas que a gente desaprende de ver.
Tem gente que tem cheiro de colo de Deus. Ao lado delas a gente sabe que os anjos existem e que alguns são invisíveis.
Ao lado delas pode ser abril, mas parece manhã de Natal.
Tem gente que tem cheiro das estrelas que Deus acendeu no céu. Ao lado delas, a gente não acha que o amor é possível, tem certeza. A gente se sente visitando um lugar feito de alegria, saboreando a delícia do toque suave que sua presença sopra no coração.
Tem gente que tem cheiro de cafuné sem pressa. Do acalanto que o silêncio canta. De passeio no jardim.
Ao lado delas, a gente se lembra que no instante em que rimos Deus está conosco, juntinho ao nosso lado. E a gente ri grande, que nem menino arteiro.
Descobri que posso ser assim se deixar o amor de Cristo se manifestar em mim.
Que nossas almas possam ter o cheiro do Espírito de Deus,bom suave e agradável."

(Autor desconhecido)



terça-feira, 15 de novembro de 2011

Serviço à Francesa

Ideal para refeições formais, é considerado o serviço oficial para reuniões de caráter diplomático, é o mais requintado.

O serviço à francesa carateriza-se, basicamente, pelo próprio comensal se servir de especiaria ou prato para ele oferecido, através de uma travessa, por um garçom ou copeiro.

São regras gerais de um serviço à francesa:

a) Tratando-se de serviço específico para ocasiões formais, é imprescindível o refinamento e a harmonia dos acessórios e decoração ao trabalho dos garçons.

b) A mesa deve ser colocada com os acessórios necessários para a refeição, de acordo com as regras de colocação de mesa.

c) A distribuição dos lugares à mesa obedece a uma ordem de precedência. O lugar de honra fica à direita da hostess e do anfitrião. O cavalheiro mais importante, o homenageado, senta-se à direita da anfitriã. A sua esposa, senta-se à direita do anfitrião.

d) Os garçons servem os pratos pela esquerda dos convidados a uma altura e distância confortáveis para que eles se sirvam da comida.

e) As bebidas são servidas pela direita do convidado.

f) Depois que o convidado termina de comer, o prato é retirado pela direita e um limpo é recolocado pela esquerda, num movimento simultâneo.

g) Cabe ao garçom servir primeiro as senhoras e depois os homens, deixando a anfitriã como a última entre as senhoras e o anfitrião como o último entre os homens.

h) Havendo convidados de honra, a mulher convidada de honra é servida em primeiro lugar; em seguida, todas as mulheres, encerrando pela anfitriã. Para os homens, o procedimento é o mesmo.

i) Aguarda-se a anfitriã levantar seu talher para se começar a comer.

j) O café preferencialmente é servido fora da mesa, num outro ambiente. Cabe à anfitriã ou ao anfitrião aguardar que todos tenham terminado a refeição, para, então convidá-los para o café.

k) O serviço de licor é após ou paralelo ao serviço do café.



Referência:

RIBEIRO, Célia. Etiqueta século XXI: um guia prático de boas maneiras para os novos tempos. 3.ed. Porto Alegre: L&PM, 2008.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Quem são as pessoas mais salutares que você conhece?

Karl Albrecht, em seu livro "A Inteligência Social: a nova ciência do sucesso", Editora M.Books do Brasil, apresenta as cinco dimensões da Inteligência Social, quais sejam: consciência situacional, presença, autenticidade, clareza, empatia.

Afirma: "a autenticidade envolve o desejo e a habilidade de ser franco, e não forçado ou empolado. Ela é o seu jeito de se associar com as outras pessoas e tornar-se digno da confiança delas. É a diferença entre ser genuíno e ser falso. É uma confiança ou crença em si mesmo, que lhe permite assumir a autoria e a propriedade de seu espaço ou lugar."

Em seguida convida a nos pensar nas pessoas mais salutares que conhecemos. E lança questionamentos como:

> Quem é a pessoa mais positiva em sua vida? E por que ela sempre consegue ver o melhor lado, nunca começando pelo pior lado de cada situação?

> Quem é a pessoa mais generosa em sua vida? Quem, caso você lhe pedisse numa época de grande apuro pessoal, o ajudaria ou lhe emprestaria dinheiro sem fazer perguntas?

> Quem é a pessoa mais enérgica em sua vida? Quem tem o som da vibração na voz e mal pode esperar para começar, para ir a lgum lugar ou fazer alguma coisa?

> Quem é a pessoa mais entusiástica em sua vida? Quem possui um zelo honesto pela vida e por tudo o que ela contém?

> Quem é a pessoa mais gentil em sua vida? Quem trata todo mundo com amor e respeito, e é capaz de enxergar a bondade nos outros?

> Quem é a pessoa mais atenciosa em sua vida? Quem marca presença com pequenos toques (um aperto de mão, um cartão, um abraço, um presente, uma xícara de café, um telefonema), sem motivo especial?

> Quem é a pessoa mais engraçada em sua vida? Quem é que lhe proporciona gargalhadas naturais e irreprimíveis?

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Questões de protocolo

O lugar de honra é, sempre, a direita do anfitrião.

No automóvel, o lugar de honra é no assento traseiro à direita em relação ao motorista; segue o lugar no assento traseiro à esquerda; por último o lugar do meio. O banco da frente é para assessores e o segurança.

Quem entra primeiro é a autoridade ou convidado de maior hierarquia. O anfitrião dá a vonta e entra pela outra porta do carro.

Convencionou-se o centro da mesa como o lugar de honra, pela posição estratégica, por ser o lugar de onde o anfitirão comanda o evento. Pode acontecer de um convidado ter hierarquia superior à do anfitrião, que lhe cede a posição à mesa como deferência e cortesia.
O anfitrião deverá sentar à esquerda da autoridade, ficando à direita o convidado de maior hierarquia presente. Se não houver autoridade de hierarquia superior, a prerrogativa da direita será do anfitrião.

A composição de Mesa de Honra numa solenidade obedece a ordem de precedência das autoridades convidadas e confirmadas. Recomenda-se que uma mesa de Honra seja integrada por, no máximo, sete autoridades.

Para que cada autoridade ocupe o seu lugar correto à mesa, uma pessoa (recepcionista) deve ser designada para orientar seu lugar.