Vivências e convivências

Vivências e convivências

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Etiqueta e comportamento corporativo


Conceituação


“Como os sinais de trânsito e os mapas rodoviários, o protocolo do escritório nos protege de colidir com os outros, de magoar os sentimentos dos colegas ou de prejudicar a reputação de uma firma.”



Quem escreveu isso foi Amy Vanderbilt (1908-1974), em seu livro The Amy Vanderbilt Complete Book of Etiquette, no início dos anos 70, com a experiência que tinha como consultora em etiqueta de diversas organizações, inclusive no Departamento de Estado norte-americano. 

Talvez seja esse o objetivo mais bem definido a respeito da importância de se conhecer e saber aplicar – ainda no século XXI - normas e regras de civilidade e boas maneiras tanto em nosso convívio social como no ambiente de trabalho. 

“Não existe nenhuma sociedade

sem boas maneiras.” (Margaret Visser)

O conhecimento e a prática correta das normas que regem o comportamento geram benefícios imediatos tanto para quem as pratica como para a organização do qual se faz parte.

Possibilitam um comportamento com mais confiança, simplicidade e naturalidade diante de situações inusitadas, além de melhorarem o relacionamento entre colegas, dirigentes, visitantes, .... 

Dito de outra forma, facilita o convívio entre as pessoas por meio de comportamento adequado a cada ocasião e cerimônia, dando segurança aos anfitriões e aos convidados. Contribui no sentido de se criar uma convivência baseada no respeito mútuo das pessoas.

Sem dúvida, as regras de etiqueta, ou o código de comportamento como também é denominado, são flexíveis e tem-se adaptado desde o século XVII, época em que na corte francesa do Rei Luís XIV resolveu-se estender o código de conduta, o protocolo da corte, para a burguesia emergente que começava a frequentar as cerimônias palacianas com o intuito de evitar constrangimentos durante as solenidades. Há regras que caíram em desuso, outras foram deixadas de lado, outras tantas tiveram que ser reelaboradas diante da mudança que vamos vivenciado nos relacionamentos do mundo contemporâneo.

É posto que a mera e simples aplicação das regras de etiqueta não garante um retorno positivo no quesito civilidade e educação social. Hoje em dia quando se fala em regras de boas maneiras e etiqueta, a preocupação vai na direção de se querer sensibilizar o outro para normas de civilidade e sociabilidade, do que uma mera necessidade de se aprender como cruzar as pernas ou dobrar um guardanapo ou não ao término da refeição, por exemplo.

O desafio da etiqueta, na atualidade, é garantir com que cada pessoa consiga observar e perceber o outro, e respeitá-lo, acima de tudo, como um ser humano que tem seu jeito de agir e pensar.


sábado, 18 de agosto de 2018

Etiqueta à mesa: técnicas de servir



Existem formas básicas de servir um cliente. Contudo, há regras básicas de serviço, cujas técnicas auxiliam na agilidade e garantem o desempenho desejado de quem atende.

Serviços à esquerda do cliente
Prato de pão e de saladas
Garfo de mesa, sobremesa e peixes
Apresentação de travessas
Serviço à inglesa direto
Serviço à francesa
Lavanda


Serviços à direita do cliente
Prato de mesa, sobremesa, fundo e consommé
Faca de mesa, sobremesa e peixe
Colher de mesa e sobremesa
Copo e taça em geral
Serviço de bebidas
Apresentação do vinho
Apresentação do cardápio
Apresentação da nota
Serviço à inglesa indireto
Serviço de prato pronto (empratado)




quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Serviços à mesa



            Serviço é a denominação usada para designar a forma como o cliente será servido. Quais são: serviço à francesa, serviço à inglesa, empratado, self-service.

Serviço à Francesa - Ideal para refeições formais, é considerado o serviço oficial para reuniões de caráter diplomático; é o mais requintado. O serviço à francesa caracteriza-se, basicamente, pelo próprio comensal se servir de especiaria ou prato para ele oferecido, pelo lado esquerdo, através de uma travessa, por um garçom ou copeiro.
Serviço à Inglesa
Ø Serviço à inglesa direto – o garçom serve o convidado, sempre pelo lado esquerdo, retirando os alimentos da baixela, fazendo uma pinça com o garfo e a colher.
Ø Serviço à inglesa indireto (com guéridon = carrinho) – o prato é montado no guéridon pelo garçom, e servido ao convidado pelo seu lado direito.

Serviço Empratado - Os pratos já vêm montados da cozinha, geralmente bem elaborados e decorados. O garçom, ao servir, coloca o prato à frente do convidado pelo lado direito.

Self service - É a proposta de almoços ou jantares com bufê. Tanto os acessórios, quanto a comida são dispostos em cima de mesa ou bufês, a partir de onde os convidados se servem. Ou seja, vão até o bufê, servem-se à vontade e depois retornam para a mesa. Permite maior descontração aos convidados, pois requer mais de sua participação.

As fotos da colocação e organização de mesa foram tiradas durante a disciplina de Etiqueta à Mesa, que ministrei no curso Sequencial de Gastronomia, na Universidade Regional de Blumenau, agora em julho de 2018. A organização das mesas esteve sob a responsabilidade das alunas e alunos, a quem agradeço o empenho. 

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Postura profissional: que tal garantir um atendimento de excelência?



Todo trabalho é digno se realizado com honestidade, vontade, respeito e paixão.
Algumas atitudes e regras de comportamento merecem especial atenção por parte do profissional que vai atuar em atividades de hospitalidade e acolhimento (garçom, garçonete, atendente, hostess......). São, contudo, atitudes e regras de comportamento que, se cumpridas e mantidas, irão garantir uma postura profissional adequada e coerente para se prestar um atendimento de excelência. 

§  Mantenha um sorriso fácil e espontâneo no rosto.
§  Mantenha sempre a coluna ereta; os ombros para trás; a cabeça erguida.
§  Costas retas e queixo levemente erguido inspiram confiança.
§  A mente leva em conta a postura do corpo e se comporta de acordo com ela. Se você se sentar de maneira relaxada, o cérebro vai funcionar de modo relaxado. Se sentar com a coluna reta, o peito para frente, os ombros equilibrados, o cérebro também vai funcionar assim, majestoso e glamoroso.
§  Preste atenção na maneira como você se senta para trabalhar, para comer, no modo como caminha, como cumprimenta as pessoas, na expressão facial, nos gestos.
§  Estar sempre bem-humorado, ter disposição para conversar, saber responder as perguntas formuladas e ser respeitoso com as opiniões alheias são atitudes que demonstram que o profissional tem prazer no que faz. Em consequência, sua expressão é de saúde, higiene, sucesso e alegria, embora sem exageros.
§  Atente ao seu tom de voz, aos gestos e ao vocabulário utilizado. Fale pausadamente, de forma clara e sem pressa. Evite gírias no vocabulário.
§  Evite fazer comentários sobre os assuntos conversados pelos hóspedes e clientes.
§  Cuide de sua saúde e da apresentação pessoal.  Cabelos limpos, curtos ou presos. Unhas curtas, sem esmalte ou base. Sem perfume, apenas desodorante sem perfume. São alguns cuidados dentre outros que serão determinados segundo os padrões do Hotel.
§  Siga o padrão de uniforme estabelecido pelo Hotel ou Restaurante.
§  Evite passar as mãos pelos cabelos, nariz, boca e outras partes do corpo.
§  Não coma, nem mastigue chicletes, enquanto estiver trabalhando.
§  Evite tossir, espirrar e assoviar enquanto estiver atendendo ou servindo.
§  Trate as mulheres por “senhora” e os homens por “senhor”. Evite tratamento de intimidade. E palavras no diminutivo: minutinho, favorzinho....
§  Incorpore o espírito de equipe. Jamais dê oportunidade para pensamento como: “Isso não faz parte da minha função” ou “Não vou limpar isso, pois não sou auxiliar de limpeza”.
§  .......
§  .......
§  .......



“Meu corpo é um jardim, minha vontade o seu jardineiro.”

William Shakespeare