quinta-feira, 24 de julho de 2014

A inclusão de pessoas com deficiência


"Entender o ponto de vista do outro para ser quem queremos."
"Para entender a pessoa que tem uma deficiência é preciso enxergar a pessoa, não a deficiência."
"A visão de que o mundo é plural permite perceber que existe espaço para todos, sem discriminações."


São afirmações que constam na Cartilha de Orientação para o atendimento a pessoas com deficiência, elaborada pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo e pela Fundação Faculdade de Medicina.
 

A cartilha pode ser acessada pelo link
e constitui-se em uma excelente fonte de leitura e aprendizado para quem quer atender cada vez com mais hospitalidade uma pessoa com deficiência.

Diversidade - uma palavra que entrou no mundo contemporâneo para ficar. Não é apenas uma moda passageira. Segundo a Cartilha, "respeitar a diversidade significa dizer que aceito as pessoas como elas são porque também quero ser aceito pelo que sou. Significa entender que o direito do outro é que garante que os seus direitos sejam respeitados. E que entender o espaço do outro é também uma forma de proteger o seu espaço."

Afinal de contas, o que é inclusão?

Com base na Cartilha (p. 15),
  • incluir significa dizer eu me importo, mesmo que outros não se importem;
  • incluir significa facilitar o acesso de quem estava do lado de fora de um processo: pode ser da escola, do mercado de trabalho, da comunicação digital ou do convívio social;
  • incluir significa tomar partido e não ser indiferente;
  • incluir significa mobilizar esforços e buscar parceiros para mudar um quadro de exclusão;
  • incluir significa agir e não esperar que as coisas mudem por si só;
  • incluir significa buscar saídas criativas para situações de exclusão mesmo que pareçam não ter saída.

Como você tem praticado a inclusão?

E a empresa em que você trabalha? Como está a inclusão profissional de pessoas com deficiência?

A empresa tem seu espaço adequado para receber clientes e colaboradores com deficiência?


Se por ventura você tenha respondido negativamente os três questionamentos, num primeiro momento convido você a ler a Cartilha.

Num segundo momento, com o aprendizado que teve com a leitura da Cartilha, conversar com o gestor que você assessora a respeito da inclusão.

E depois, colocar-se frente ao notebook e redigir um projeto de viabilidade para a empresa gradativamente se adaptar ao mundo diante da pluralidade que aí está evidente, buscando a inclusão, garantindo o acesso a bens, produtos e serviços de todas as pessoas, sem distinção.

Aí sim você estará contribuindo com um mundo mais humanizado. Além de atuar verdadeiramente como um assessor executivo proativo, intraempreendedor, com atitude social e profissional.






quinta-feira, 17 de julho de 2014

Autovalorização





Faça  a sua profissão tão especial quão especial você se considera".
 
(by Eliane Wamser)


sábado, 28 de junho de 2014

Manual de Redação da Presidência da República


O que é redação oficial? Qual é o padrão oficial?
 
O que distingue um ofício de uma carta comercial?
 
Quais são as características fundamentais da redação oficial?
 
O que deve ser evitado em uma comunicação oficial?
 
E o uso correto dos pronomes de tratamento? E as suas peculiaridades quanto à concordância verbal, nominal e pronominal?
 
Qual vocativo empregar em comunicações dirigidas aos Chefes do Poder e às demais autoridades?
 
E o endereçamento, no envelope?
 
O uso do tratamento digníssimo (DD) está abolido em comunicações oficiais?
Os fechos para as comunicações: quando usar atenciosamente ou respeitosamente?
 
Como identificar o signatário?
 
A forma e a estrutura dos diversos documentos oficiais.....


E por aí vai.......

São muitos os questionamentos e as dúvidas que temos na hora em que precisamos lidar com as questões que envolvem a correspondência oficial.
 
Temos uma vasta literatura que trata disso. No entanto, eu pessoalmente procuro sempre consultar o Manual de Redação da Presidência da República, que é bastante esclarecedor, no meu modo de entender.

Pode ser acessado no link: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/manual/manual.htm.


Fica de dica e sucesso para você!




sexta-feira, 27 de junho de 2014

A elegância de um assessor executivo

O post de hoje é dirigido especialmente para os meninos (como costumo chamá-los carinhosamente) Assessores Executivos, Assessores Legislativos e Assessores Parlamentares.
 
São alguns trajes Esporte e Esporte Completo (ou Passeio) que, na minha opinião, são exemplos de como vocês podem se vestir com elegância, nem sempre sendo necessário o uso de gravata (terno).





 
 
 
Claro, sempre lembrando que cada carreira - e ocasião - exige e compreende um tipo de traje e de guarda-roupa.
 
Costuma-se afirmar que a roupa que se escolhe para o trabalho diz que profissional você é, ou pretende ser.
 
Só mais uma observação: a impressão visual não é fator excludente, mas pode render pontos no ambiente corporativo.
 
Meninos, sei que vocês me entenderam. Fica a dica!