Vivências e convivências

Vivências e convivências

domingo, 22 de junho de 2014

Como dizer "não" sem dizer "não"

“O tempo é o recurso mais escasso. Se ele não for administrado, nada pode ser administrado.” (Peter Drucker)

Esta frase de Peter Drucker é minha favorita quando se trata da questão de otimização do tempo por parte de quem assessora. E o assessor e a assessora são profissionais dos quais é exigido muito diplomacia no cotidiano do ambiente de trabalho. Tanto que muitos têm uma enorme dificuldade em dizer "não", porque trabalham com o preceito de que tem que atender e satisfazer a necessidade e as solicitações das pessoas que demandam algo delas. Acabam dizendo "sim" mesmo sabendo que isso irá interromper seu trabalho, e quem sabe trabalhar além do horário do expediente.
 
A verdade é que devemos aprender a dizer "não" sem parecer grosseiros. Até porque - e sei que você já passou por isso - há pessoas que querem se valer de sua boa vontade e se livrar de uma tarefa, geralmente indesejada ou chata de se fazer.
 
Veja três maneiras de dizer "não" no trabalho:
 
 
1. Podemos falar disso na 4ª. feira? Até lá eu deverei arranjar tempo para ajudá-lo.
 
 
2. Podes me dar mais um dia para a apresentação do projeto? Aí posso me concentrar mais neste problema e juntar umas pontas soltas.
 
 
3. Estou preocupada com o fato de que, com todos os outros prazos que se avizinham, eu talvez não seja capaz de aprontar este a tempo. Vamos rever as prioridades?


Claro, vamos dizer "não" quando necessário para darmos conta de nossas atividades e prioridades, e não porque pretendemos dar o troco ao colega de trabalho por ele ter-se mantido indiferente outro dia em que precisávamos de sua colaboração.
 
Sucesso!


Nenhum comentário:

Postar um comentário