Vivências e convivências

Vivências e convivências

sexta-feira, 27 de março de 2015

Tempo: nossa mais valiosa "commodity"

 

Annie Dillard, uma escritora Americana, disse: “Como vivemos nossos dias é, com certeza, como nós vivemos nossas vidas”. Tempo. É, sem dúvida, nossa mais valiosa commodity. Diferente das pedras e metais preciosos, ou de quaisquer outras preciosidades, o tempo não pode ser acumulado, coletado, ganhado ou comprado com trabalho duro, dinheiro, dignidade, ou com nossa alma. Ele desliza entre nós se colocamos nele sentido ou não. Use-o ou perca-o!  

Percebo que todos têm consciência de quão limitada é nossa vida no quesito tempo, e mesmo assim nós agimos como se não soubéssemos o real valor do tempo. Usamos palavras como gastar, matar, ou desperdiçar quando falamos da forma finita das horas de cada dia. Os sistemas de gerenciamento de tempo são abundantes, entretanto, nós tropeçamos e cambaleamos ao tentar dar o melhor nós a cada nascer do sol. Planejamos o futuro e negligenciamos o presente. Olhamos melancólicos para o passado embora o futuro esteja cheio de esperanças.
 
E ainda, para muitos de nós, parece que não há horas suficientes  no dia. Comprimimos tudo aquilo que vai dentro de 24 horas do tique-taque, pechinchando com o Deus do Tempo, ingenuamente esperando que ele mova  nossas intenções de produzir mais, realizar mais, ser mais. Nós nadamos neste paradoxo, debatendo nosso corpo, negociando a qualidade de nossas vidas enquanto atrapalhadamente aspiramos uma qualidade de vida ideal. 

Por quê tudo isso acontece? Porque nós permitimos nossos chefes, nossos amigos e nossas pobres decisões serem donas do nosso tempo. Chegamos em casa do trabalho exaustos, sem vontade de fazer nada, e temendo que temos apenas algumas horas para dormir antes de acordar e fazer a mesma rotina novamente. Eu entendo que temos um trabalho e somos pagos pelo nosso tempo, mas nós todos devemos recuperar a melhor forma como gastamos o nosso tempo. Senão ficaremos doentes ao trabalhar muito e depressivos pela falta de equilíbrio em nossas vidas.
 
Uma maneira de reorganizar o nosso tempo é fazer uma atividade por dia que realmente agregue valor em nossas vidas. Agregar valor para mim é nos desafiarmos com uma nova experiência, aquela que sempre se quis fazer mas “por falta de tempo”, acabamos deixando passar. Talvez uma aula de piano, aprender uma nova língua, aquela caminhada ao redor do parque, enfim, algo que recarregue as energias, que traga alegria e revigora a criatividade. É fazer algo que você (nós) sempre gostou mas nunca se propôs a realizar. 

Todas as estratégias de gerenciamento de tempo não irão ajudar se não se sabe o que realmente se quer. Não falo necessariamente das nossas conquistas e objetivos de carreira, mas o que se quer podem ser pequenas coisas que se aprecia fazer, e que são importantes para cada um de nós. Quaisquer que sejam, sejamos específicos nelas, assim saberemos em que focar, e na verdade teremos alguma coisa para fazer quando se criar aquele tempo livre!  

Ser dono do seu tempo não é ter mais tempo livre, é saber o que se quer e usar este tempo que é dado para ser mais produtivo. Para isso é preciso estabelecer limites. O que é algo muito difícil para todos nós que possuímos uma vida tão ocupada, chefes exigentes, e problemas em dizer “não”.  Estabelecer limites significa reconhecer o que é importante para cada um, programar alguns minutos para curtir isso, e fazer não importa o quê de fato se quer . Algumas pessoas podem ser até resistentes a essa ideia, mas precisamos pensar: “essa é a nossa vida e o nosso tempo, e somos as pessoas mais importantes nela”. Mesmo se dedicarmos nosso tempo ajudando os outros, não teremos tempo de perceber o que é importante ao menos que se respeite o próprio tempo. 

Mensagem para você!!....Influencie você mesmo ao substituir inúmeras tarefas/atividades lhe dando pequenos momentos de prazer e avance em seus objetivos. Cada atividade merece esforço, algumas atividades lhe darão grandes resultados, e outras são meramente importantes. Celebre cada atividade concluída com algo que lhe dê muita satisfação em fazer. Tome cuidado com hábitos muito “consumistas”, como TV e redes sociais em excesso, argumentos inúteis com colegas de trabaho, ou muitas tarefas diversas em seu dia-a-dia. Quando você “produz” tempo, você deve usar o tempo que lhe é dado para atingir os seus objetivos e te libertar destes hábitos “consumistas”. 

Soa simples: estabeleça limites, influencie o seu tempo e corte os hábitos “consumistas”. Mas se fosse tão simples, a questão tempo não seria um grande problema para a maioria. Às vezes, o medo de mudar impede nossos avanços. O medo pode nos questionar inúmeras vezes ao redefinir nosso gerenciamento do tempo, mas basta fazermos as perguntas certas para organizar a vida:
-          Terei uma ótima vida se eu investir no meu próprio tempo?
-          Quais oportunidades de carreira podem se abrir para mim quando as pessoas respeitarem minha autoestima?
-          Como posso ajustar a minha agenda e permanecer produtivo e conhecer as minhas reais intenções enquanto faço meu trabalho? 

Tempo é o melhor presente que você pode se dar, porque você realmente pode curti-lo e porque lhe dá espaço para conquistar os teus sonhos. Então vamos em frente, vamos nos dar o tempo que tanto necessitamos, para a vida que queremos hoje, e criar a vida que queremos amanhã.
 

Autora:  Rafaela P. Piazza, texto construído na disciplina de Tempo, Organização e Planejamento, do curso de Pós-Graduação em Assessoria Executiva Empresarial, pela FURB – Universidade Regional de Blumenau.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário