Vivências e convivências

Vivências e convivências

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

O futuro para os profissionais de secretariado

A profissão de Secretário, que tem sua origem através dos Escribas, homens que dominavam a escrita, faziam contas, classificavam os arquivos e redigiam as ordens, alcança destaque nas décadas de 50 e 60.

O início da atuação dos profissionais de secretariado, que ocupavam uma posição operacional, consistia basicamente no desempenho de técnicas secretariais. Suas atribuições eram compostas por atividades como: executar tarefas relativas à anotação e redação, inclusive em idiomas estrangeiros, datilografar e organizar documentos e outros serviços de escritório como recepção e registros de compromissos.

Um pouco mais adiante, com o Secretariado já instituído na categoria de profissão, as atribuições dispostas são mais abrangentes, como: assistência e assessoramento direto a executivos, planejamento, organização e direção de serviços de secretaria, coleta de informações para a consecução de objetivos e metas de empresas.

O perfil exigido do profissional na década de 60 requeria apenas pessoas com domínio de língua estrangeira e ótima datilografia, muito diferente do que se exige hoje. Com as transformações que vem ocorrendo na dinâmica social e empresarial, o profissional é inserido no contexto das atividades empreendedoras, iniciadoras e criadoras contribuindo significantemente na construção da organização empresarial.
As atribuições que compreendiam o perfil do profissional de secretariado desde o início de sua profissão, assim como as mudanças ocorridas em todo o cenário mundial, mais especificamente nas empresas, que estabeleceram então as novas atribuições presentes na Lei de Regulamentação da Profissão do Secretário, são conhecidas por todos nós.

A partir dos fatos citados e considerando a evolução constante do mundo globalizado, podemos partir então para as perspectivas para a profissão de Secretariado, assim como a possibilidade de novas atribuições.Algumas profissões do futuro apresentadas pela pesquisa realizada pelo FastFuture (www.fastfuture.com), nos levam a relacioná-las com atribuições que fazem parte do perfil do Secretário Executivo, através de suas competências, habilidades e atitudes.

A primeira é o “Gestor de Informação Virtual”, especialista responsável por ajudar na organização da vida eletrônica. Sendo o Secretário Executivo, profissional conhecedor de informática, organizador, com capacidade de síntese, criativo e discreto, capaz de conhecer as necessidades de quem irá atender, e através disso criar um software capaz de facilitar a vida de seu usuário, através de guias que contenham os passos detalhados para utilizar cada função, além de alertar sobre riscos e dados salvos no sistema de modo redundante, que possam ser excluídos. Assim o profissional facilita o acesso virtual de quem não tem tempo ou não possui os conhecimentos técnicos para lidar com esse meio eletrônico.

Outra profissão seria “Gestores de Dados Excessivos”, na qual o profissional fica responsável por cuidar dos dados que seu cliente fornece na internet e redes sociais. Para isso o profissional deve conhecer muito além das técnicas de informática; deve compreender também os direitos legais, conhecer o trabalho do seu cliente, para saber discernir entre informações que podem ser prejudiciais, evitando sérios problemas além do roubo de identidade. Função que caberia ao profissional de secretariado principalmente por sua capacidade de discernimento, comprometimento, agilidade de raciocínio, ponderação e discrição.

Ser “Especialista em Social Networking” também caberia ao profissional de secretariado, que atenderia pessoas marginalizadas ou traumatizadas pelas redes sociais. Para isso, o profissional, que já é conhecedor das redes sociais, também deverá entender das técnicas de estratégias para sobrevivência no “mundo conectado”. O profissional deve ajudar o cliente a determinar as causas de uma imagem negativa perante as redes sociais e também desempenhar esse papel de gerenciar as redes sociais de pessoas que simplesmente não gostam e se sentem pressionadas a fazer parte deste mundo virtual.

Por último, o “Personal Brander”, criador dos perfis sociais de celebridades, publicitários, famosos em geral. Para garantir que o profissional crie as marcas pessoais, através das mídias e sites, além de gerenciar os assuntos, problemas, que deverão chegar a essas pessoas, ele deverá contar com suas habilidades de planejamento, organização e controle; capacidade de identificar, analisar e encaminhar para solução, possuir conhecimento de gestão da informação, além de possuir várias atitudes como, discernimento, discrição, posicionamento, criatividade, entre outras.

Podemos concluir que a profissão de secretário evoluiu significativamente desde seu surgimento até os dias atuais, e a tendência é que continue evoluindo, criando possibilidades variadas para a atuação do profissional, que possui conhecimentos, habilidades e atitudes que possibilitam essas diversas atuações, para tanto, ele deve se manter não só atualizado, como também um passo a frente, preparado para o que o futuro irá apresentar.


Autora:
Thays Ferreira Lima, secretária executiva, aluna do MBS - Pós Graduação em Secretariado: Gestão de Pessoas e Processos, convênio CESUSC/SINSESC, em Florianópolis (SC).

Nenhum comentário:

Postar um comentário